Como ler os rótulos dos alimentos?

Para uma alimentação mais equilibrada é fundamental saber interpretar o rótulo e as informações nutricionais das embalagens dos alimentos. E quando se trata da alimentação dos pequenos, isto se torna ainda mais especial!

Quando comparamos os rótulos dos produtos, é possível fazer escolhas mais saudáveis, identificando os mais nutritivos e com menos adição de sódio e açúcar, por exemplo.

Alimentos mais nutritivos são aqueles que tem uma alta densidade nutricional, ou seja, contém mais nutrientes por calorias. Assim, fica mais fácil garantir uma alimentação de maior qualidade para as crianças, mas como podemos identificar isto na hora de escolher os alimentos?

 

Entendendo as informações nutricionais do rótulo de alimentos:

Porção: é a quantidade média do alimento que deve ser consumida e na qual foi calculada o valor nutricional. Todas as informações são referentes a esta quantidade de alimento.

% VD: É a porcentagem dos Valores Diários de Referência. Esta porcentagem se refere o quanto determinado nutriente contribui para a ingestão total recomendada. Exemplo: Um alimento que contém um VD de 15%de cálcio, significa que sua porção contém 15% de todo o cálcio que precisamos consumir no dia.

Valor energético: é a quantidade de calorias do alimento na porção. Opte por alimentos que tenham menor densidade energética (kcal/gramas), ou seja, menos calorias (kcal) em uma maior quantidade de alimento (gramas).

Ingredientes: Os ingredientes são descritos sempre na ordem decrescente, ou seja, os que estão em maiores quantidades na preparação aparecem em primeiro. Ler esta listagem é uma forma rápida de identificar por exemplo se o alimento é de fato integral (se o primeiro ingrediente for a farinha ou cereal integral), ou ainda, se há muita adição de açúcar e gordura.

Carboidratos: Açúcar também é carboidrato! Alguns rótulos especificam a quantidade de açúcar, outros não, por isto é importante ficar atento!

Busque sempre alimentos sem adição de açúcar, isto significa que os açúcares são próprios do alimento e que não foi adicionado nada além disto.

Fibra alimentar: O consumo adequado de fibras é fundamental para uma alimentação saudável, além de trazer inúmeros benefícios à saúde. Opte por alimentos que tenham sempre maior percentual de fibras, isto ajudará a atingir as recomendações diárias!

Alimentos com no mínimo 2,5g de fibras por porção já podem ser considerados um alimento fonte de fibras! Procure essa mensagem no rótulo.

Gorduras: O tipo de gordura faz diferença, por isso atente-se a elas. Busque alimentos sem gordura trans e com menores quantidades de gorduras saturadas e colesterol.

Ômega-3 DHA: é uma gordura “boa” que está relacionada a benefícios para o desenvolvimento cognitivo, aprendizagem e visão das crianças. Alimentos enriquecidos com ômega-3 são importantes para atingir as recomendações de consumo. Procure as opções contém ou fonte de DHA.

Vitaminas e Minerais: Alguns alimentos são fortificados com vitaminas e minerais para ajudar a suprir a quantidade diária que precisamos ingerir. A %VD ajuda a entender o quanto a porção do alimento contribui para atingirmos 100%  das nossas necessidades.

Podemos dizer que um alimento é rico em determinada vitamina ou mineral quando a %VD for maior que 15% por porção, e podemos dizer que tem alto teor se a %VD for maior que 30%.

Sódio: Dê preferência por alimentos que tenham pouco sódio, ou seja até 80 mg de sódio a cada 100 ml ou 100g do alimento e ainda, aqueles que apresentam a mensagem

Baixo teor sódio ou sem adição de sal.