Como escolher os melhores produtos oferecidos às crianças?

Uma das grandes preocupações dos pais, é a escolha dos alimentos. Sabemos que a prioridade é, sempre que possível, oferecer refeições preparadas em casa, com alimentos frescos. No entanto, em virtude da correria do dia a dia e até mesmo decorrente dos pedidos das crianças, precisamos também dos alimentos industrializados.

Por isso, nosso grande dilema é: diante de tantos produtos ofertados, como escolher a melhor opção para nossos filhos?

Pensando nisso, apresentamos algumas orientações práticas para ajudar nessa tarefa difícil e lançamos a campanha  “Compare e Escolha”. Nosso objetivo é que você tenha maior autonomia para escolher os produtos mais saudáveis.

Vamos lá?

Para poder selecionar o melhor produto é preciso ler e entender as informações do rótulo. Primeiro, vamos destacar duas: a tabela de informação nutricional e a lista de ingredientes.

A primeira orientação é interpretar a tabela de informação nutricional (aquela que apresenta a quantidade dos nutrientes: carboidratos, proteínas, gorduras, fibras, vitaminas e minerais).

Mas como?

No Brasil, a informação nutricional apresentada na tabela é padronizada  pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. Portanto, pode ser apresentada na forma de tabela mesmo ou,  quando a embalagem é muito pequena, na forma de texto.

De maneira  geral, as informações básicas são:

  • A quantidade da porção (por exemplo, em um suco industrializado, 1 porção é equivalente a 1 copo de 200 ml);
  • O valor energético por porção (quantas calorias tem nessa porção, ou seja, quantas calorias têm nesse copo de 200 ml);
  • A quantidade de carboidratos e açucares, proteínas e gorduras (especificadas em gorduras totais, saturadas e trans), fibras e sódio.

Neste quesito, é importante observar, sobretudo para as crianças, a quantidade de carboidratos e gorduras, procurando escolher sempre os produtos que apresentam uma menor quantidade de açúcares, e,  de preferência, que não apresentem gorduras trans.

Além disso, é interessante que os alimentos selecionados apresentem menores quantidades de sódio e maiores quantidades de  fibras, sempre que possível.

Nem todo alimento apresenta vitaminas e minerais, por isso, não é obrigatório essa apresentação na tabela. No entanto, é interessante analisar que muitos alimentos são enriquecidos ou fortificados com vitaminas e minerais. Por exemplo: ao escolher entre dois sucos, que apresentam quantidades parecidas de carboidratos, proteínas e gorduras, mas que a opção 1 não apresenta vitaminas e minerais e a opção 2 contém vitaminas A, C, B6 e B12, cálcio e ferro, opte pela opção 2 (enriquecida com micronutrientes) . Assim, você  garante o consumo de  vitaminas e minerais necessários para o crescimento de desenvolvimento das crianças, juntamente com uma alimentação saudável e equilibrada.

A segunda informação importante, é a lista de ingredientes. Nela, estão descritos todos os ingredientes que o produto contém, em ordem decrescente, ou seja, o ingrediente listado em primeiro lugar é o que consta em maior quantidade no produto e o último ingrediente, é o que consta em menor quantidade.

Agora ficou mais fácil escolher, né?!

Mas, se você ainda está com dúvida, escreva para gente!

 

Referências bibliográficas:

ANVISA. Rotulagem nutricional obrigatória: manual de orientação às indústrias de Alimentos – 2º Versão / Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Universidade de Brasília – Brasília: Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária / Universidade de Brasília, 2005.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Rotulagem nutricional obrigatória: manual de orientação aos consumidores Universidade de Brasília – Brasília: Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária / Universidade de Brasília, 2005. 17p.