Notícias falsas (Fake News) em saúde.

A utilização das redes sociais como fonte de informação é uma ferramenta bastante interessante, principalmente porque o acesso as notícias, principalmente as novas descobertas em saúde, se tornou mais fácil.

E isso pode ser analisado sobre dois pontos de vista: de um lado, o conteúdo que antes se restringia ao mundo acadêmico e aos profissionais de saúde, acabou ultrapassando as barreiras das universidades e começou a se tornar acessível à toda população. Mas, por outro, isso contribuiu para que nem toda informação que circula na internet, seja verdadeira, favorecendo assim, as Fake News (ou, notícias falsas) e quando relacionada à saúde, estas notícias podem levar a prejuízos importantes.

Mas, como saber se uma notícia é verdadeira ou falsa?

  1. A primeira dica é buscar como fonte de informação, sites confiáveis, como por exemplo, de instituições públicas ou privadas, universidades, de empresas que possuem profissionais da área como consultores e assim, toda informação veiculada é baseada em ciência;
  2. Busque saber se a informação tem uma base científica, como por exemplo, se o texto escrito apresenta no final, as referências bibliográficas. Isso significa que quem escreveu aquele texto, se baseou em referências confiáveis e não se trata apenas de uma opinião;
  3. Busque pelos autores da informação: quem é, qual a formação, área de atuação. Isso vai te ajudar a saber se esse profissional tem de fato conhecimento na área;
  4. Desconfie de matérias, vídeos, textos alarmistas. Quem propaga informação científica e confiável, costuma seguir critérios de escrita colocando sempre os fatos, sem exagerar.
  5. Entre em contato com o Ministério da Saúde (no caso de informações relacionadas a saúde), por meio do número disponibilizado para denúncias ou informações sobre Fake News (61)99289-4640; saiba mais: http://portalms.saude.gov.br/fakenews).

Entre os temas preferidos pelas Fake News, estão os relacionados à vacinas, aos alimentos que emagrecem, engordam ou curam doenças. Por isso, não é difícil encontrar mensagens e textos circulando entre os grupos de redes sociais que muitas vezes geram confusão e acabam afetando a saúde de muitas pessoas. Desconfie e sempre busque uma fonte confiável.

Referências bibliográficas:

Brasil. Ministério da Saúde. http://portalms.saude.gov.br/fakenews