Como cultivar os pilares do estilo de vida saudável desde a infância.

Crianças com hábitos saudáveis costumam mantê-los na vida adulta e, assim, possuem uma melhor qualidade de vida, desde o desenvolvimento psicológico até mesmo a proteção contra doenças.

Mas quais são os pilares de um estilo de vida saudável? E como aplicá-los nas nossas crianças? Segundo a medicina do estilo de vida, uma especialidade proposta pela Harvard Medical School os hábitos saudáveis compreendem:

  • Alimentação muito rica em vegetais;
  • Atividade física regular;
  • Sono adequado;
  • Controle do estresse;

A nutrição é fundamental para compor hábitos saudáveis e deve ter como base alimentos vegetais: frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, sementes e castanhas. Assim como os adultos, é importante que as crianças consumam ao menos 5 porções de frutas e vegetais, bem variados e preparado de diferentes formas, ampliando o paladar e o conhecimento acerca dos alimentos, desde pequenas.

Deixar a criança livre para escolher os alimentos e incluir a participação supervisionada delas no momento do preparo das refeições favorece a aceitação e auxilia a criança a comer uma maior variedade. A escolha de alimentos enriquecidos também é importante para atingir as recomendações de vitaminas e minerais, principalmente a vitamina D, cálcio e ferro.

A prática de atividade física de maneira regular pode ser incentivada e estimulada com foco na diversão, através de jogos, ludicidade e exploração, sempre de maneira segura e supervisionada. É ideal que os equipamentos eletrônicos sejam limitados a, no máximo, 2 horas por dia, pois assim, a criança poderá passar mais tempo realizando as atividades que requerem movimentação.

O sono adequado pode ser proporcionado por meio do ambiente onde a criança dorme, por exemplo, um quarto próprio, silencioso e livre de iluminação, com um colchão firme e os adultos não devem fumar dentro ou próximo desse ambiente. É importante também estabelecer as roupas de dormir, que devem ser colocadas no momento do sono e retiradas logo após o despertar, para que a criança entenda quando é a hora de dormir e quando é a hora de acordar.

Apesar de parecer um problema só de adultos, o estresse também faz parte do cotidiano das crianças, que demonstram por meio do comportamento (chateação, raiva, insegurança, entre outros). O ideal é identificar o que está gerando essa situação para solucionar com a criança de maneira efetiva. A prática dos fatores protetivos já mencionados anteriormente (estimulação de recursos lúdicos, atividades de lazer, monitoramento de dispositivos eletrônicos, entre outros) são interessantes redutores de estresse e auxiliam com um melhor desenvolvimento das crianças. Técnicas de respiração também podem ajudar.

Por fim, é importante saber que todas essas práticas envolvem mudanças no comportamento e nos hábitos e, tratando-se de crianças, é fundamental que a família esteja alinhada nos propósitos, servindo de exemplo e suporte aos seus filhos.

REFERÊNCIAS

Active Healthy Living: Prevention of Childhood Obesity Through Increased Physical Activity. PEDIATRICS (2006), 117(5), 1834–1842. doi:10.1542/peds.2006-0472 

Lifestyle medicine / [edited by] James M. Rippe. Third edition. | Boca Raton: Taylor & Francis, 2019. ISBN: 9781351781008

McDonald, E. M., Mack, K., Shields, W. C., Lee, R. P., & Gielen, A. C. (2016). Primary Care Opportunities to Prevent Unintentional Home Injuries: A Focus on Children and Older Adults. American Journal of Lifestyle Medicine, 12(2), 96–106. doi:10.1177/1559827616629924 

National Health Service (NHS). 5 a Day and your Family – Eat Well, 2018. Disponível em https://www.nhs.uk/live-well/eat-well/5-a-day-and-your-family/

Sayburn, A. (2018). Lifestyle medicine: a new medical specialty? BMJ, k4442. doi:10.1136/bmj.k4442 

Toledo, Thaís Costa de. Estresse infantil, escolaridade e contexto familiar : um estudo com alunos do ensino fundamental / Thaís Costa de Toledo. — 2013.