Vitamina D e Cálcio

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Um dos grandes paradoxos do nosso tempo é que descobrimos o valor do sol para não somente a vida do ser humano, mas também para a síntese de Vitamina D na pele. No entanto, no mesmo período nos demos conta que a exposição solar demasiada, em horários específicos e em grupos de pessoas mais suscetíveis, causa um gigantesco aumento dos diferentes tipos de câncer de pele, como o melanoma, carcinoma baso celular e outros.

A vitamina D, hoje considerada um hormônio funcional, tem inúmeras tarefas essenciais em nosso organismo, participando do crescimento, desenvolvimento e de algumas funções ligadas a imunidade e funcionamento de órgãos vitais. Tem duas fontes principais- a vitamina que é proveniente dos alimentos, algumas frutas, verduras, produtos lácteos e especialmente alguns tipos de fortificação alimentar. A segunda fonte é a vitamina D que é sintetizada na pele, sob a ação dos raios solares.

Esta vitamina tão importante, atuando em conjunto com o cálcio, um dos principais minerais de nosso corpo, determina a capacidade de formação de tecidos como os ossos, dentes, e no crescimento. Esta sinergia tem a possibilidade de proteger o nosso organismo de carências agudas, retirando o cálcio de seus depósitos e redirecionando-o para o sangue, sendo então distribuído para onde é necessário.

Talvez o grande problema nutricional desta equação, é a nova tendência de restrições alimentares e cuidados exagerados com a saúde. O cálcio é proveniente especialmente de alimentos derivados do leite, especialmente por fornecer maiores volumes por quantidade ingerida, e por seu maior aproveitamento na absorção e utilização. Por motivos variados, um grande número de pessoas em todo o mundo, estão reduzindo o consumo, especialmente de leite, mas também de seus derivados. Por questões filosóficas, religiosas, crenças e modismos, por intolerância a lactose, alergia a proteína do leite de vaca e por situações ambientais, como a formação da pegada de carbono, grupos gigantescos de pessoas, especialmente em condições de risco, como lactentes, adolescentes e gestantes, estão reduzindo seu consumo de cálcio ao reduzir o consumo de lácteos. É verdade que alimentos vegetais possuem cálcio, e alguns em boas quantidades, mas sem dúvida, sua absorção é menor proporcionalmente, e teríamos de consumir volumes bastante grandes para compensar a retirado do leite e derivados.

Se reduzimos a exposição ao sol para nos protegermos, ou utilizamos protetores solares cada vez mais bloqueadores dos raios necessários para a síntese de vitamina D e paralelamente reduzimos alimentos lácteos, que são fontes de cálcio e podem ser muitas vezes enriquecidos com vitamina D, teremos um grande problema. Teremos simultaneamente a possibilidade de termos carências de vitamina D e cálcio, desbalanceando totalmente o equilíbrio do crescimento e desenvolvimento, função cardiorrespiratória e outras, do nosso organismo.

Uma possibilidade de compensação para estes processos, é o uso de alimentos enriquecidos, fortificados, ou com modificação de seus conteúdos de cálcio e vitaminas. Em alguns países, o próprio leite é enriquecido com cálcio e vitamina D, assim como sucos industrializados e outros produtos. O uso de suplementos é bastante utilizado, sob orientação adequada e garantindo as recomendações necessárias a cada idade e faixa de risco. O uso de vitamina D na infância associada a uma dieta composta inicialmente por leite materno exclusivo e mantido pelo maior tempo possível, garante a fonte alimentar de vitamina D e cálcio. Na introdução do alimento complementar, devemos diversificar ao máximo nossos alimentos para garantir a composição adequada de nossas refeições. Se necessário, suplementos garantem a reposição de perdas ou inadequações. No primeiro ano de vida, a associação A e D tem garantido a proteção contra carências importantes. A utilização de fórmulas lácteas na ausência do aleitamento materno, garante o aporte de vitaminas e minerais. Suplementos de associação de vitaminas com o cálcio podem ajudar em casos de restrição alimentar. Mesmo restrições extremas podem contar com suplementos formulados especialmente para este público, como os veganos.

Portanto, para garantir uma condição adequada de equilíbrio, podemos combinar uma exposição ao sol em horários adequados, por períodos curtos e expondo braços e pernas, sem proteção por bloqueadores. Logo após este período, proteger o corpo de forma correta, com o uso correto de filtros solares, exposição controlada ao sol, com a utilização de bonés, óculos escuros, camisas com proteção UV e em horários adequados, garante o prazer e proteção. A vitamina D estará assegurada pela exposição solar correta, complementada pela alimentação adequada. Da mesma forma, o aporte de cálcio estará garantido por um esquema de amamentação seguro e complementado por produtos alimentares naturais e industrializados fortificados e de boa qualidade. Com isto, respeitamos as diferentes restrições e crenças, sem prejudicar a saúde de nosso organismo.